segunda-feira, 19 de setembro de 2016

ANO PASSADO

Ano passado foi um ano morno mas poderia ter sido mais ameno.

Bobagem, Bobagem

...inevitavelmente, chega um dia na vida da gente que não dá mais para continuar fazendo as mesmas coisas como se o tempo estivesse estagnado, parado mesmo, como se fosse sempre o presente, o aqui e agora. Não gostei nada do que foi escrito acima. Não consigo entender. É como se houvesse entrado alguma coisa na minha cabeça que não deixa, nesse momento, desencadear um pensamento coerente, que tenha algum significado...Horrível! É melhor parar e procurar outro afazer.

Nem Tudo ou Nada

Lembrei do gato que flutua, mas não tem nada a ver com o que eu pretendo fazer hoje aqui como exercício de "dialética". Não entendo muito bem o que seria essa tal de dialética mas pelo que li ainda a pouco, para Platão, a dialética é o movimento do espírito, é sinônimo de filosofia, é um método eficaz para aproximar as ideias individuais às ideias universais. Platão disse que dialética é a arte e técnica de questionar e responder algo. Então fica a pergunta: Como perguntar e responder algo? Pois bem, polêmica é diferente, é c...o teclado parou de funcionar, então é o fim.

Hum... Mais Um

Dois mil e dezesseis chegou mas pelo visto eu estou atrasado. Hibernei em janeiro e acordei em fevereiro. Mas fevereiro tem carnaval e é mês de apagar as inúmeras velinhas. Não, não sou eu quem está atrasado, é o país todo. Tenho que embarcar nesse trem que ainda está por chegar. Que seja o "trem da alegria". Pouco provável, pois o senário não parece muito claro com tantas nebulosidades e incertezas na política. Mas, pelo visto, não tem trem, tem é "canoa furada" e eu já cansei de abandonar o barco. Mas, precisamos continuar nossa jornada rumo ao infinito... O pessimismo geral da nação, o "não ter o que fazer", parece que está indo embora, embora para alguns, a coisa ainda esteja "preta". Mas, se tudo caminhar (preciso ser otimista) bem, pode ser que eu me "dê bem", no bom sentido, claro. O trabalho, o emprego, a garantia do ofício, gera tranquilidade e confiança para continuarmos a jornada da vida, até que um dia...

Conspiração ou Paranoia

Pode ser uma coisa ou outra. Por exemplo: Porque toda vez que você começa a escrever alguma coisa o teclado pifa? Defeito? Alguém corujando o que você está escrevendo? Espiões na net é o que mais tem. Paranoia, porque não existe ninguém interessado em rastrear um "pobre coitado".

Do Lixo da Nata à Nata do Lixo

O que é pior, ou melhor, nesta trajetória? Ser o lixo dos "bacanas" ou 'o cara' do "resto"? Vou pensar!
Sair do luxo ao lixo ou vice versa, não deve se nada fácil.

Depressão



Fatores psico-sociais
As pessoas que já experimentaram períodos de depressão relatam um acontecimento estressante como o fator precipitante da doença. A perda recente de uma pessoa amada é o fato mais citado, mas todas as grandes perdas (e mesmo as pequenas) causam um certo pesar. Também a falta de amigos, que pode ocorrer devido a vários factores, desde a rejeição, até à falta de interesses em comum, leva à solidão indesejada e é um fator de risco que frequentemente leva à depressão, principalmente durante a adolescência. Acontecimentos traumáticos, como a perda súbita de um ente querido, ou mesmo eventuais mudanças de cidade, podem causar uma depressão profunda, sendo necessário um longo período de recuperação. A maioria das pessoas supera este estado sem se tornar cronicamente deprimida. Alguns fatores genéticos ou biológicos podem explicar a maior vulnerabilidade de certas pessoas. A existência ou a ausência de uma forte rede social ou familiar também influenciam – positiva ou negativamente – na recuperação.
Algumas pessoas podem sofrer com a doença pelo fato de trocar de uma cidade muito boa, para uma pior e que não oferece nada em troca, é um grande fator de risco, por exemplo, uma pessoa que tem vários amigos ir para outra que não tenha ninguém . As pessoas afetadas criam um bloqueio de aceitação. Desse modo acabam se desanimando das atividades comuns do dia-a-dia, e com o passar do tempo o desanimo aumenta a pessoa perde a motivação da vida, e isso gera uma grande tristeza. Esse e um fator comum que afeta mais os jovens e os adultos.
Dentre os fatores psico-sociais causadores de depressão, problemas relacionados à convivência e relacionamento no ambiente de trabalho também têm fundamental importância para o desenvolvimento da doença em questão.
Para o behaviorismo um dos fatores correlacionados com a depressão é o desamparo aprendido, que é a diminuição de comportamentos saudáveis resultante de várias punições que aconteciam não importando o que o indivíduo fizesse (punições não-contingentes).[7]

Autor desconhecido

A VOLTA DO VELHO GUERREIRO

Me refiro ao meu herói (Aju  para os íntimos) como foi difícil chegar a outra margem do rio. Ele, esperto como ele só, mergulhou nas profundezas para se livrar do inimigo opressor
Agora parece que as coisas acalmaram mais. "coisas"! Que coisa! Falamos coisa para definir qualquer coisa. Então, que a coisa fique assim como está. Não precisa mudar.
Estou com saudades do meu blog, aquele de mocinha queixosa. Quem sabe eu não dou um pulinho lá?
Vou, vou já.
Não fui, amarelei.
Acabei vindo e vou ficar porque aqui é o meu lugar, se não é ainda, vai ser.
A minha presença aqui vai ter que ser significativa, pois não estou afim de gasta minha energia sem realizar trabalho, como diz as leis da física.
Pois é, minha história é carregada de dilemas que me faz ficar em cima do muro.
Hilariante,  foi a resposta ao estímulo que a menina acabou de sentir.
A sensação esperada , dependendo da intensidade, pode ser dor, calor, agulhada forte, formigamento, pressão etc. mas essa de rir é a melhor de todas.
Dependendo da pressão, no caso agora, pressão psicológica, que eu venho sentido vou ter que relaxar para não me estressar muito.
Mas, entretanto, porém, todavia, contudo, kkk, tá tudo bem.
A maneira de escrever hoje em dia mudou muito com a introdução dos "emotions", para facilitar pra uns e dificultar pra outros, a maneira de se expressar.
Tenho que revisar o que eu acabei de escrever, pois este texto ficou como uma coxa de retalhos.
Porra! Tão querendo me intimidar mais uma vez mas agora eu não vou ceder. Já sou um pouco tímido e facilmente me influencio com as pessoas quando "rosnam" pra mim.
Sinto muito mas agora tenho que ir.


Carnaval

Tava escrito lá: "Nesse carnaval, faça sexo virtual; use camisinha". Daí eu fiquei pensando...